Club de
Assis-Norte

Mostrando todas as publicações dos clubes

Clube debate a função do Diretor do Protocolo

Os rotarianos que fazem parte do Rotary Club de Presidente Prudente-Nascente, no Distrito 4510 do Rotary International, na região oeste do interior do Estado de São Paulo promoveram na reunião ordinária desta semana um debate sobre as funções do Diretor do Protocolo dentro das reuniões e eventos rotários. “Uma função pouco esclarecida dentro da organização, e bastante confundida”, disse o presidente do clube rotário prudentino, o educador, Caio Roberto Pratel Ferreira, ao convidar o jornalista Márcio Cavalca Medeiros, associado do Rotary Club de Marília-Pioneiro, para a exposição do assunto, por ser o atual Diretor do Protocolo do Distrito 4510 do Rotary International. “É preciso conhecer para poder praticar”, disse o dirigente rotário local.Durante pouco mais de 60 minutos o convidado mostrou os detalhes sobre a função dentro da organização mundial, no entanto, se ateve a demonstrar as leis federais que regem todo o cerimonial formal no Brasil, com a utilização de hinos, bandeiras e ordem das autoridades. “Dentro da organização mundial não existe quase nada de forma específica”, destacou Márcio Cavalca Medeiros. “O que existe é o cumprimento da lei, para se usar e praticar de forma correta os hinos, os símbolos nacionais e principalmente a forma organizacional na composição das mesas com autoridades e a ordem das bandeiras nas panóplias”, comentou o convidado ao fazer as diferenças e promover uma série de reflexões dentro das reuniões rotárias.De acordo com Márcio Cavalca Medeiros a prática rotária é mais simples do que os rotarianos imaginam. “Observo muita discordância, discussão e até mal estar por fatos que não são normatizados dentro do Rotary, pois, o exagero e o desejo de querer fazer reuniões e eventos rotários formais em demasia tem causado muita discussão desnecessária”, falou ao comentar no encontro sobre as exageradas cerimônias de posse, transmissão de cargo e outras inventadas ao longo do tempo. “As reuniões rotárias são trabalho, de forma prática, objetiva e muito direta”, ressaltou. “É tão mais simples do que se imagina que as pessoas acham estranhos ou chegam a duvidar”, comentou Márcio Cavalca Medeiros ao apontar nos manuais, nas normas e nos códigos normativos onde se encontram as funções do diretor do protocolo.Para Márcio Cavalca Medeiros a função é confundida com a de um “cerimonialista”. “Não é isso que está normatizado”, alertou. “O diretor do Protocolo é mais uma função prática, de assistência ao presidente ou governador, do que de um expositor ou condutor do evento ou encontro”, falou. “Quem conduz a reunião ou o evento, é o presidente ou governador rotário, e não o diretor do Protocolo”, esclareceu. “A função dele no clube é mais organizacional e cuidar para que a reunião seja proveitosa do ponto de vista funcional, do que ficar se achando mais importante que o presidente ou governador”, explicou ao apresentar uma série de documentos sobre o assunto e mostrar na técnica como deve ser o trabalho num ambiente rotário.

Postado em 14 de Outubro de 2017

Rotarianos fazem manifesto no Dia Mundial contra a Pólio

Rotarianos do Rotary Club de Marília-Pioneiro e do Rotary Club de Marília-Coroados, ambos do Distrito 4510 do Rotary International, na região centro oeste do interior do Estado de São Paulo estão estudando uma ação conjunta no próximo dia 21 de outubro, sábado, em celebração ao Dia Mundial contra a Poliomielite (Paralisia Infantil), destacada mundialmente no dia 24 de outubro, terça-feira. “Infelizmente não poderemos agir neste dia, então vamos antecipar nossa campanha”, explicou a advogada, Angela Cecília Giovanetti Teixeira, presidente do Rotary Club de Marília-Pioneiro. “O importante é tomarmos uma iniciativa e não deixarmos a data passar despercebida”, destacou o representante comercial, Adriano Giraldi Martins, presidente do Rotary Club de Marília-Coroado, que também participará do evento. A proposta dos rotarianos marilienses é ficar das 9 as 13 horas, no cruzamento da Avenida Sampaio Vidal, com a Rua Nove de Julho, principal entroncamento viário no centro da cidade de Marília, onde se concentra o maior número possível de carros e pedestres, simultaneamente, quando entre o fechamento de um semáforo e outro, será estendida uma faixa própria da campanha contra a paralisia infantil, dos dois lados, para que todos que estiverem próximos possam saber da necessidade de se vacinar as crianças contra a paralisia infantil. “Além disso, queremos fazer uma distribuição de panfletos explicando mais detalhes desta ação mundial”, acrescentou a presidente do clube rotário mariliense, que se reúne semanalmente nas dependências do Quallity Hotel Sun Valley, no período da noite. As faixas são utilizadas duas vezes ao ano, sempre que acontecem as campanhas de vacinação contra a paralisia infantil. Em sistema de rodízio, os rotarianos ficarão com a faixa estendida na frente dos carros, entre a passagem dos transeuntes com os carros e passar a mensagem. “Desta vez vamos entregar um material de apoio sobre o Dia Mundial de combate a doença e o trabalho que o Rotary International, através da Fundação Rotária, vem fazendo neste sentido desde 1986 para erradicar a doença no mundo”, acrescentou Adriano Giraldi Martins. “Este dia mundial é importante para nós, afinal, só restam três países no Mundo para eliminarem a doença”, completou o rotariano que preside o Rotary Club de Marília-Coroados, que se reúne semanalmente, nas noites de segunda-feira, nas dependências da APAE-Marília. O ROTARY E A PÓLIO - A poliomielite, doença deformadora e por vezes fatal, ainda ameaça crianças em algumas partes do mundo. O vírus da pólio invade o sistema nervoso e pode causar paralisia em questão de horas em qualquer pessoa, mas principalmente em menores de cinco anos. Apesar de não haver cura para a doença, ela pode ser evitada através da vacinação. Desde o lançamento do Pólio Plus em 1985, a primeira iniciativa para erradicar a paralisia infantil por meio da imunização em massa, o número de casos da doença caiu drasticamente. O Rotary contribuiu com US$1,7 bilhão e inúmeras horas de trabalho voluntário na imunização de mais de 2,5 bilhões de crianças em 122 países. Além disso, a organização desempenha papel significativo ao influenciar governos doadores a contribuírem com mais de US$7,2 bilhões à iniciativa. Existem apenas três países onde a doença é endêmica: Afeganistão, Nigéria e Paquistão. Em 2016 foram confirmados somente 37 casos de pólio no mundo, refletindo uma redução de mais de 99,9% desde a década de 1980, quando ocorriam por volta de mil casos por dia. O número de casos representados pelo 1% restante são os mais difíceis de prevenir devido a fatores que incluem isolamento geográfico, precariedade da infraestrutura pública, conflitos armados e barreiras culturais. Até que a pólio seja erradicada, todos os países permanecem em risco de terem surtos da doença. #Eficaz Comunicação Empresarial Ltda – ME

Postado em 10 de Outubro de 2017

ROTARY CLUB DE MARÍLIA REALIZA PALESTRA EM ESCOLA

  O Rotary Club de Marília realizou nos dias 3 e 5 de outubro para os alunos da Escola Estadual Professor Benito Martinelli no Santa Antonieta em Marília, uma palestra sobre profissões com o objetivo de orientar em suas escolhas profissionais.   A palestra foi solicitada pela diretoria da escola e as profissões abordadas pelos profissionais do Rotary foram os cursos de tecnologia da informação, psicologia, medicina, direito, engenharia, entre outros.   Segundo o presidente do Rotary Club de Marília Aldenilson Mateus Rodrigues essas atividades contribuem para os futuros profissionais. “Incentivar a formação profissional e contribuir com a educação também é papel do Rotary. Nesse caso especifico, estamos transmitindo conhecimento e participando do futuro desses jovens que com certeza um dia serão grandes profissionais”.   O projeto é coordenado pelo professor universitário e também rotariano Alonso Bezerra de Carvalho que acredita que o contato com profissionais da área fortalece a educação. “A nossa ideia é despertá-los e contribuir para que decidam a continuar a estudar, de maneira que possam garantir a dignidade humana e a cidadania".   "Essa atividade atende uma das ênfases da Fundação Rotária que é apoiar a educação, especialmente os jovens que estão prestes a sair do Ensino Médio e precisam definir o seu futuro.", destaca o professor.   As escolas interessadas em receber os rotarianos para realização de palestras, podem entrar em contato pela página rotaryclubdemarilia no Facebook.

Postado em 07 de Outubro de 2017 por Rotary Club de Marília

Reuniões Segundas-Feiras | 20:00
AV. OTTO RIBEIRO, N. 677 - JD PAULISTA ,677