Club de
Assis-Norte

Mostrando todas as publicações do Clube

Campanha de Vacinação contra a Paralisia Infantil

O Ministério da Saúde acionou o sinal de alerta no início de julho, quando emitiu alerta informando que 312 municípios brasileiros estão com cobertura vacinal abaixo de 50% contra a poliomielite. A mobilização  Algumas atividades já estão sendo registradas como campanhas. O Distrito 4650 do Rotary International (parte de Santa Catarina), por exemplo, está se mobilizando para veicular mídias em redes sociais, sites, blogs, portais de notícia, enviando e-mail marketing, veiculando outdoor e busdoor, além de releases para imprensa (mídia espontânea), entre outras estratégias de comunicação e conscientização. Os materiais mostram a importância da vacinação e do Programa “End Polio Now”, desenvolvido pelo Rotary International, responsável pela imunização de mais de 2,5 bilhões de crianças contra a doença, em 122 países, representando uma redução de 99,9% no número de casos mundiais. O programa Pólio Plus O Rotary já contribuiu mais de US$ 1,8 bilhão para a luta contra a pólio. Em 1985 lançou o programa de imunização Pólio Plus. Em 1988, a organização se tornou líder na Iniciativa Global de Erradicação da Pólio, junto com a Organização Mundial da Saúde e o Centro Norte-Americano de Controle e Prevenção de Doenças. Mais tarde, a Fundação Bill e Melinda Gates também passou a integrar o grupo. Desde que a iniciativa começou, a incidência da paralisia infantil no mundo caiu em mais de 99,9%, indo de 350.000 casos em 1988 para apenas 22 em 2017. O papel do Rotary na luta pela erradicação da pólio  O trabalho do Rotary com a pólio se concentra na defesa da causa, na arrecadação de fundos, no recrutamento de voluntários e no aumento da conscientização de toda sociedade.  A arquiteta Fabiane Kanzler Maiochi, presidente da Comissão da Pólio Plus do Distrito 4650, aponta quais os maiores desafios atualmente. O principal é eliminar focos em países onde ainda temos a incidência da doença. São três países apenas: Afeganistão, Paquistão e Nigéria, representando 0,1%. Mas os mais difíceis de prevenir devido a fatores que incluem isolamento geográfico, precariedade da infraestrutura pública, conflitos armados e barreiras culturais e religiosas. Sem a erradicação total dos focos, todos os países permanecem em risco de terem surtos da doença.  No Brasil, de acordo com relatório de vacinação para Pólio em 2016, percebemos uma redução significativa na cobertura em todo país. Redução causada por vários fatores sociais, econômicos, políticos e principalmente culturais.  Mesmo nos países onde a doença é considerada erradicada é fundamental que manter a cobertura vacinal, segundo Fabiane: “Num mundo globalizado e sem fronteiras, o risco é eminente até que possamos garantir o fim da doença mundialmente”, resumiu a associada do RC de Jaraguá do Sul - Vale do Itapocu do Distrito 4650.  Confira algumas metas distritais para o Programa Pólio Plus sugeridas pelos distritos: Apoiar o lançamento da Campanha de Vacinação Nacional, com foco na mobilização da sociedade.  Visitar Prefeituras e Secretarias de Saúde Estaduais e Municipais para reforçar a importância da Campanha de Vacinação da Pólio como um compromisso político.  Desenvolver parcerias com entidades que possam facilitar o alcance às comunidades.  Participar de eventos culturais e desenvolver iniciativas para conscientização e mobilização da comunidade. Envolvimento da secretaria da educação, palestras em escolas, igrejas, associações de moradores, uso de rádios e jornais e emissoras comunitários.  Adotar um Posto de Saúde e fazer uma ação forte na comunidade que ele atende. Para mais informações sobre o Programa End Polio Now, acesse o site: https://www.endpolio.org/pt.   Texto: Giovani Vitória | Jornalista/Rotariano | Rotary Club Hermann Blumenau | Presidente da Comissão de Imagem Pública do Distrito 4650 | Gestão 2018/2019.

Postado em 19 de Julho de 2018

Rotarianos se mobilizam para vacinação contra paralisia

Os aproximadamente 1,5 mil rotarianos na região centro-oeste do interior do estado de São Paulo, envolvendo o Distrito 4510 do Rotary International, estão se mobilizando para fortalecer a campanha nacional de vacinação contra a paralisia infantil (poliomielite), que será realizada no dia 18 de Agosto em todo o território nacional. “Erradicar a paralisia infantil no mundo é um compromisso do Rotary International”, disse o Governador do D4510 do RI, o delegado de polícia, João Evangelista Pereira, associado ao Rotary Club de Lucélia. “Dai a importância de nossa organização se envolver de forma direta no combate a esta doença”, acrescentou o dirigente rotário que está estimulando os 67 Rotary Clubs nas 38 cidades paulistas a tomarem uma iniciativa que leve as crianças aos postos de vacinação. De acordo com o médio pediatra, Régis Jorge, associado ao Rotary Club de Presidente Venceslau, coordenador distrital da “Pólio Plus”, na região do centro-oeste paulista, a proposta é que cada clube tome uma iniciativa no sentido de atrair as crianças e familiares aos postos de vacinação. “Não é nossa função vacinar e nem proporcionar a infraestrutura”, falou. “Nosso compromisso é fazer com que os pais levem os filhos para serem vacinados”, anunciou o dirigente rotário que esteve como Governador do Distrito 4510 do Rotary International, na Gestão 2007-08. “O poder público municipal, estadual e federal proporcionarão as condições para a vacinação”, avisou. “Nós, rotarianos, temos que fazer de tudo para que todas as crianças das cidades sejam vacinadas”, defendeu o rotariano que por ser médico pediatra sabe muito bem da importância da vacinação. A campanha nacional será desenvolvida de primeiro a 31 de Agosto, porém, no dia 18, será de maior intensidade com a vacinação contra a paralisia infantil (poliomielite). “Junto com a vacinação contra a paralisia infantil haverá, também, a vacinação contra o sarampo”, explicou Régis Jorge. “Nosso foco é a poliomielite, porém, não vamos descartar a vacinação contra o sarampo”, acrescentou o rotariano ao enfatizar que o Rotary International tem mais conhecimento técnico sobre a vacinação contra a pólio, mas não descarta qualquer outra. “Aliás, o ideal é que as famílias coloquem em dia a caderneta de vacinação das crianças”, acrescentou o médico pediatra rotário. “São crianças de 1 até 4 anos de idade, 11 meses e 29 dias”, detalhou. Para Régis Jorge os clubes podem promover uma série de campanhas em favor da ida das crianças para os postos de vacinação, seja: com atrações artísticas, musical, com o Corpo de Bombeiros, ornamentação, brindes, pedágios, panfletagens, destaques nas mídias sociais e nos veículos de comunicação, desfiles, e tantos outros meios de chamar a atenção para o Dia Nacional de Vacinação contra a Paralisia Infantil, dia 18 de Agosto, terceiro sábado do mês. “Os rotarianos são criativos e encontrarão uma maneira de fazer com que todas as crianças sejam vacinadas”, acredita Régis Jorge ao lembrar do baixo índice vacinal nos últimos anos no Brasil. “Temos que atingir os 97%”, apontou ao sugerir a intervenção dos rotarianos junto aos Poderes Públicos. “Vamos unir forças com liberdade em agir de forma pró ativa para que as crianças estejam nos postos de vacinação para serem vacinadas”, falou ao acreditar na possibilidade de se conseguir a meta de 97%, pelo menos nas 38 cidades onde exista um ou mais Rotary Clubs. #Eficaz Comunicação Empresarial Ltda – METelefone:(14) 98137.7189 (Vivo) E-mails: redacao@eficaz.jor.br ou atendimento@eficaz.jor.brSite: www.eficaz.jor.br - Twitter: marciocmedeirosSkype: marciomedeiros8020www.facebook.com/EficazComunicacaoEmpresarial

Postado em 19 de Julho de 2018

Clube satélite começa a discutir funções e ações

Os integrantes que formam o clube satélite na cidade de Echaporã, pelo Distrito 4510 do Rotary International, na região centro-oeste do interior do estado de São Paulo, começaram neste início da gestão rotária 2018-19 a discutir funções e ações a serem desenvolvidas junto a comunidade echaporense. “Estamos ainda nas discussões sobre a organização mundial, principalmente quanto ao Estatuto, e mencionando os cargos e funções”, comentou a presidente do Rotary Club de Marília-Pioneiro, a cirurgiã dentista, Sandra Aparecida de Souza Craveiro Tavares, clube padrinho dos rotarianos de Echaporã. “É importante que neste início de atividades, os associados fundadores saibam como funciona um Rotary Club”, ressaltou a dirigente mariliense. Reunidos na Prefeitura de Echaporã os integrantes passaram a conhecer a estrutura do Rotary International, projetando para a realidade local. “Ainda é tudo novidade e aos poucos o pessoal vai se envolvendo com as práticas rotárias”, comentou o jornalista Márcio Cavalca Medeiros, associado ao Rotary Club de Marília-Pioneiro, que vem dando o suporte rotário necessário neste início de atividades do clube satélite. “Começar bem e certo são fundamentais para o sucesso do clube, principalmente pensando na continuidade”, explicou o experiente rotariano de Marília, que esteve como Governador do Distrito 4510 do Rotary International, na Gestão 2011-12. “Esta primeira fase é um pouco cansativa, mas necessária para a compreensão dos princípios da organização mundial”, disse o dirigente do clube padrinho que semanalmente se encontra com o grupo recém formado para a formatação do perfil a ser seguido pelo primeiro clube satélite da região. Com início da nova gestão no começo do mês, o último encontro foi utilizado para explicações sobre os cargos e responsabilidades, além, da apresentação da “Agenda 2018-19”, do Rotary Club de Marília-Pioneiro, confeccionada anualmente com 140 páginas em que se encontram todo o planejamento das atividades do clube mariliense para os próximos 12 meses, além de informações sobre o Rotary International; o clube; as metas presidenciais, distritais e do clube; bem como informações sobre as comissões de trabalho, as subcomissões e dados dos associados e rotarianos dos oito clubes de Marília. “Uma agenda muito rica de informações em que foi possível apresentar aos companheiros de Echaporã, como forma de orientação e instrução rotários”, disse Sandra Aparecida de Souza Craveiro Tavares que participa de todos os encontros semanais no clube satélite. “Inclusive nesta agenda estão alguns dos nossos projetos e programas”, acrescentou a presidente do Rotary Club de Marília-Pioneiro. O Rotary Club Satélite Marília-Pioneiro-Echaporã se reúne sempre na sexta-feira, as 18 horas, ou na Câmara Municipal ou na Prefeitura, sempre com duas horas de duração, tendo a participação somente de integrantes da comunidade echaporense. “Estamos iniciando um projeto a médio prazo e queremos inserir a cidade no contexto rotário e promover ações que beneficiam a nossa sociedade”, disse Moisés Antônio Leite, presidente da Associação Comercial e Empresarial de Echaporã, que conta com as presenças de: André Martin de Oliveira Franco, Flávio José dos Santos, José Mauro Marcelino, Marcelo Augusto Paglione, Rute Conceição Moreira dos Santos e Zilda Maria e Silva. “Ainda não realizamos a cerimônia de posse do pessoal, pois, estamos aguardando o momento oportuno”, disse a presidente do Rotary Club de Marília-Pioneiro. #Eficaz Comunicação Empresarial Ltda – METelefone:(14) 98137.7189 (Vivo) E-mails: redacao@eficaz.jor.br ou atendimento@eficaz.jor.brSite: www.eficaz.jor.br - Twitter: marciocmedeirosSkype: marciomedeiros8020www.facebook.com/EficazComunicacaoEmpresarial

Postado em 17 de Julho de 2018

Mensagem do presidente Barry Rassin - Julho 2018

Há um ano, o Conselho Diretor do Rotary International adotou uma nova declaração de visão, refletindo nossas aspirações para a organização e seu futuro. A declaração é a seguinte: "Juntos, vemos um mundo onde as pessoas se unem e entram em ação para causar mudanças duradouras em si mesmas, nas suas comunidades e no mundo todo." Essa frase simples mostra muito do que é essencial no Rotary. Nós nos unimos porque sabemos que somos muito mais fortes juntos do que sozinhos. Entramos em ação porque não somos sonhadores, mas sim agentes de transformação. Trabalhamos para criar mudanças sustentáveis que perdurarão por muito tempo, em todo o mundo e em nossas comunidades, mesmo quando não estivermos mais envolvidos. E talvez o mais importante, trabalhamos para criar mudanças em nós mesmos – construindo um mundo melhor à nossa volta e nos tornando pessoas melhores. Uma frase atribuída ao escritor francês Antoine de Saint-Exupéry diz: "Se você quiser construir um navio, não chame as pessoas para juntar madeira ou atribua-lhes tarefas e trabalho, mas, simm ensine-os a desejar a infinita imensidão do oceano." Cada um de nós veio ao Rotary porque tinha um desejo – causar um impacto, fazer a diferença, ser parte de algo maior que nós mesmos. Esse desejo, essa visão de um mundo melhor e nosso papel em criá-lo é o que nos impulsiona no Rotary. Foi por isso que nos associamos; é isso que nos motiva a servir; e é o que me levou a escolher nosso lema para este ano do Rotary: Seja a Inspiração. Quero que o Rotary Seja a Inspiração para nossas comunidades realizando um trabalho com impacto transformador. Está na hora de avançarmos, de eliminarmos as barreiras que nos atrapalham. Vamos facilitar os ajustes em nossos clubes ou abrir novos clubes que atendam às necessidades atuais e reais. Vamos trabalhar para fortalecer o Rotaract e a transição tranquila de rotaractianos para o Rotary. Vamos dar a todos os rotarianos a flexibilidade para servir da maneira que lhes seja melhor, para que todo rotariano encontre valores duradouros na sua associação com o Rotary. O serviço verdadeiramente sustentável, o tipo de serviço pelo qual nos esforçamos no Rotary, significa enxergar tudo que fazemos como parte de uma escala global. Este ano, peço que cada um de vocês Seja a Inspiração para o serviço sustentável, analisando o impacto das questões ambientais em nosso trabalho. O meio ambiente tem um papel fundamental em todas as nossas seis áreas de enfoque e esse papel está se tornando cada vez maior conforme o impacto das mudanças climáticas se faz sentir. Está na hora de deixar de ver o meio ambiente como algo separado das seis áreas. Ar, água e solo são essenciais para comunidades sadias – e essenciais para o futuro melhor e mais saudável pelo qual nos empenhamos em conquistar. Seja a Inspiração – e juntos, poderemos inspirar o mundo.

Postado em 13 de Julho de 2018

Dirigente alerta para a volta da paralisia infantil

O Governador do Distrito 4510 do Rotary International, o delegado de polícia, João Evangelista Pereira, associado ao Rotary Club de Lucélia, na região centro-oeste do interior do Estado de São Paulo está alertando a comunidade em geral para a volta da paralisia infantil, caso ações pontuais e contundentes não sejam realizadas pelas autoridades e a sociedade generalizada. “Em 2016 o Brasil teve a pior cobertura vacinal contra a poliomielite nos últimos 12 anos”, disse o dirigente em tom de preocupação. “Naquele ano, vacinamos 84% das crianças de até cinco anos de idade, quando a Organização Mundial da Saúde recomenda que a meta mínima de imunização seja de 95%”, argumentou ao fazer o alerta, principalmente quanto a região Norte do país onde a diminuição ocorreu de forma mais acentuada, com apenas 72% do público-alvo alcançado. De acordo com o dirigente rotário as dificuldades para motivar as famílias brasileiras a continuarem levando as crianças até os postos de vacinação configuram numa preocupação bastante atual. “São vários os motivos da queda na vacinação”, frisou o líder rotário regional ao apontar: A equivocada percepção de risco reduzido; A ideia de que a paralisia infantil é uma doença que deixamos no passado; O uso de mensagens tecnicistas que não sensibilizam as famílias; A falta de orientação médica ou mesmo a dificuldade de acesso às unidades de saúde para os responsáveis que trabalham. Para João Evangelista Pereira não podemos esquecer, no entanto, que a paralisia infantil (poliomielite) somente deixará de representar uma ameaça depois que tiver sido completamente erradicada do mundo. “O Rotary tem um compromisso com a erradicação desta doença”, destacou o Governador do D4510 do Rotary International ao sugerir que para melhorar os índices e necessário manter as crianças protegidas, junto ao Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde que anunciou uma campanha extraordinária de vacinação contra a poliomielite (paralisia infantil) e o sarampo para o período de “6 a 31 de Agosto”, com o “Dia D, no sábado, dia 18 de Agosto”, e está contando com a ajuda dos rotarianos para esse trabalho ser bem-sucedido. Desde o mês de fevereiro, os coordenadores rotários brasileiros da iniciativa “End Polio Now”, Marcelo Haick e Pedro Durão, estão propondo aos rotarianos brasileiros para que tomem iniciativas e também passem a aderir a um programa distrital criado para reverter o atual quadro vacinal. “Em muitos municípios brasileiros os índices de vacinação estão abaixo de 50%, e esse programa tem como foco a mobilização da sociedade e o comparecimento massivo à campanha de imunização”, disse João Evangelista Pereira ao conclamar os 67 clubes rotários do centro-oeste paulista a criarem ações individuais para levarem as crianças aos Postos de Saúde para receberem a vacina. Qualquer iniciativa é bem vinda. “O sucesso deste programa depende da parceria entre as lideranças rotárias”, destaca Marcelo Haick, que é também consultor nacional de “Advocacia Polio Plus”. “O ponto alto do programa de apoio será justamente o engajamento de toda a família do Rotary no Brasil durante o período da campanha nacional de vacinação”, reforçou o coordenador regional Pólio Plus pelo Rotary International. “Neste momento de contagem regressiva para a erradicação global da pólio, não podemos perder de vista que estamos concluindo o 1% final”, disse. #Eficaz Comunicação Empresarial Ltda – METelefone:(14) 98137.7189 (Vivo) E-mails: redacao@eficaz.jor.br ou atendimento@eficaz.jor.brSite: www.eficaz.jor.br - Twitter: marciocmedeirosSkype: marciomedeiros8020www.facebook.com/EficazComunicacaoEmpresarial

Postado em 12 de Julho de 2018

Reuniões Segundas-Feiras | 20:00
AV. OTTO RIBEIRO, N. 677 - JD PAULISTA ,677